Blog do Folhateen

Grupo de Apoio

 

Está na rede o "teaser trailer" do filme "The Last Airbender", adaptação do animê norte-americano "Avatar". A direção é do badalado M. Night Shyamalan e o elenco tem Dev Patel, protagonista de "Quem Quer Ser um Milionário?".

Escrito por Tarso Araujo às 19h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"American Teen"

Enviamos o estudante Daniel Lins da Silva, 17, para a cabine de imprensa de "American Teen", filme que estreia na semana que vem, e pedimos que ele fizesse um post. Eis o que ele achou: 

"American Teen", por Dan Lins da Silva

 

Estréia na próxima quarta-feira, dia 1º de Julho, o filme “American Teen”, dirigido por Nanette Burstein.

O filme segue a vida de cinco adolescentes no seu último ano de high school na pequena cidade de Warsaw, Indiana, nos Estados Unidos. Cada um dos personagens representa um estereótipo presente no universo social das escolas públicas norte-americanas: tem um nerd, uma garota popular, um atleta, um garanhão, e uma artista rebelde (pense “Juno”). Ao longo do ano, os jovens se envolvem em vários dramas escolares. Os namoros, rejeições, brigas e traições são situações clichês, mas que não deixam de ser envolventes e divertidos.

A característica supostamente inovadora de “American Teen” é o fato de o filme ser apresentado como um documentário. Os personagens não são atores, os outros alunos da escola não são extras: Burstein e seu time se estabeleceram na comunidade de Warsaw por um total de dez meses, seguindo os personagens principais onde quer que fossem. Porém, o filme não parece autêntico. Ao contrário de ambientes mais apropriados para um documentário, como uma zona de guerra, onde a presença de equipes de filmagem não afeta o comportamento dos personagens, uma escola pública americana não está acostumada com esse tipo de atenção.

Não se pode esperar que adolescentes ajam naturalmente quando precisam desmanchar um namoro ou beber (ilegalmente) com os amigos em frente a uma câmera. Muitas cenas também parecem ter sido encenadas ou pelo menos recriadas para a conveniência da filmagem. Além disso, em discussões nos fóruns do site Internet Movie Database, supostos ex-alunos na escola de Warsaw dizem que a equipe de produção dava instruções aos personagens, influenciavam as suas decisões e relacionamentos e planejavam cenas. Assim, o filme perde a sua credibilidade como um documentário pois, idealmente, nesse gênero tudo o que acontece deveria ser espontâneo.

            Em suma, “American Teen” é um filme sobre a vida de adolescentes americanos que, apesar de não ser nada mais que regular, apresenta uma visão razoavelmente fiel à realidade, e que deve ser de interesse para jovens brasileiros que gostam de observar os típicos dramas do jovem americano. Porém, quem busca no filme a objetividade voyeur de uma documentário irá se despontar.

Escrito por Marco Aurélio às 18h06

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Imagem da semana

O coelhinho emo!

Emo Bunny

Escrito por Marco Aurélio às 12h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Trailer de "Lost Canvas"

Segundo o Anime Pró, o animê de "Lost Canvas" chega ainda neste ano no Brasil pela Focus Filmes. Para quem está por fora, o desenho vai ser baseado no mangá de mesmo nome publicado em 2006, lançado por aqui pela JBC.

"Lost Canvas" se passa no mundo de "Cavaleiros do Zodíaco" e conta a história da encarnação anterior da deusa Athena. Em vez do Seiya, o cavaleiro de Pégaso é um tal de Tenma. E os cavaleiros de ouro são outros, também - dois deles vocês já conhecem, o Dohko de Libra (mestre do Shiryu) e o Shion de Áries (mestre do Mu). Já perceberam porque tanto bafafá?

Vendo essa coisa de "Episódio G" (outra história que se passou nesse universo) e "Lost Canvas" pode até parecer que é só um jeitinho de lucrar mais com uma franquia de sucesso. Mas... E daí? É super legal do mesmo jeito. Olhem só o trailer: 

Escrito por Diogo Bercito às 12h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Como é entrevistar uma celebridade

 

A suíte 1419 do hotel Four Seasons de Los Angeles se torna, por dois dias, o quartel general da equipe da Paramount Pictures. É lá que o repórter se identifica, ao chegar. Em seguida, é encaminhado a outro quarto - em que espera Megan Fox chegar, ansioso.

"Como ela é? Vai ser simpática comigo? Vai responder a todas as minhas perguntas?". Ela abre a porta, dá um gritinho ("Uau, está frio aqui!") e se senta no sofá, com as pernas em cima das almofadas. Por 15 minutos, conversa com o jornalista - quando o tempo acaba, um funcionário gentilmente empurra ele para fora.

Entrevistar um astro de Hollywood é mais ou menos assim. Para os jornalistas, esses 15 minutos são uma oportunidade única de ver as coisas com os próprios olhos. Para os atores, no entanto, é só mais um dia de trabalho _entre muitos.

Quando receberam a Folha, Megan Fox e Shia LaBeouf haviam acabado de retornar de uma turnê pelo globo. Tinham estado em países como Japão, Coreia, Espanha, Alemanha, Holanda, França, Inglaterra e Rússia. Tudo isso em menos de duas semanas.

Se isso parece cansativo, ainda tem mais. No último final de semana, às vésperas da estreia, os atores conversaram com mais de cem jornalistas. Nesta semana, devem participar de programas de televisão, ao vivo. 

Essa operação de guerra tem como finalidade divulgar o filme o máximo que for possível. Isso sem contar outdoors, trailers, propagandas etc. O intuito é superar os US$ 700 milhões faturados com o primeiro longa.

E não é só o estúdio que busca lucro com o lançamento do filme. A Hasbro, por exemplo, lança neste mês uma linha nova de bonecos, baseados no segundo filme da franquia.

Empresários do mundo inteiro também devem faturar um bocado por meio dos contratos de licenciamento _que deixam uma empresa usar uma marca famosa para divulgar seus produtos, desde que pague uma porcentagem a quem detém o direito de uso.

Por exemplo, as empresas que venderem cadernos com os transformers na capa pagarão para a Hasbro cerca de 12% do que receberem (taxa de royalty).

Já a General Motors ganhou em publicidade, exibindo nas telas alguns de seus carros _como o Chevrolet Camaro, que se transforma no robô Bumblebee.

 

Escrito por Diogo Bercito às 14h45

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Entrevista com Shia LaBeouf

Confira abaixo a íntegra da entrevista que o Folhateen fez com Shia LaBeouf, em Los Angeles. A cobertura completa do lançamento de "Transformers: a Vingança dos Derrotados" você confere no Folhateen de hoje.

*

PERGUNTA - O que foi mais difícil de fazer, no novo Transformers?

SHIA LABEOUF - A adrenalina de todas as cenas de ação é uma coisa maluca de se viver, você se sente um pouco como um samurai, o cara mais durão do mundo, porque está fazendo coisas que ninguém vai ter a chance de fazer. É um caos completo.

PERGUNTA - Você machucou seu rosto, durante as filmagens...

LABEOUF - Por causa da quantidade de elementos na cena, às vezes você não vê algo. Enfiei um prego no crânio, entrou mais de dois centímetros dentro do osso. Eu poderia ter furado o meu olho, e isso seria... Bem, um cenário ruim. Fomos a um hospital, levei 20 pontos e continuamos a filmar.

PERGUNTA - Você gostaria de tirar férias de filmes de ação?

LABEOUF - Claro. Meu próximo filme, "Money Never Sleeps", é sobre dinheiro.

PERGUNTA - Você começou com comédia. Gostaria de fazer mais filmes nesse gênero?

LABEOUF - Tem bastante comédia em "Transformers: a Vingança dos Derrotados". Eu gostaria de fazer uma mudança radical...

PERGUNTA - Tem planos de fazer faculdade?

LABEOUF - Fui aceito em Yale, mas não fui. Ia estudar história da arte. Steven [Spielberg] me chamou para atuar em "Transformers". Quando você recebe convites de Oliver Stone e pessoas assim, como vou dizer que tenho outros planos, que vou, merda, estudar história da arte? Mas talvez um dia...

PERGUNTA - Você se sente nervoso em atuar com Megan Fox?

LABEOUF - O mais bonito em Megan Fox, além do físico (que é irreal...), é que ela é bastante consciente da sua presença visual e sabe diminui-la. Não que deixa de ser atraente, mas faz de uma maneira com que você não se sente intimidado. E ela é muito insegura, o que é ridículo. Quando você elogia uma pessoa demais. Saber que você é reconhecido pelo seu visual traz insegurança...

PERGUNTA - Ela disse recentemente que "Transformers" não tem a ver com atuar, mas com efeitos especiais. Você concorda?

LABEOUF - Não, isso é bobagem. Eu não me comprometo menos com o meu trabalho quando faço um filme assim, só exercito músculos diferentes. Algumas pessoas não são boas nisso, e por isso alguns filmes não dão certo! É sobre atuar, sim. Meu trabalho é fazer o filme parecer real, para as pessoas poderem aproveitá-lo.

PERGUNTA - Como foi atuar com robôs que não estavam lá?

LABEOUF - Há uma cena em que sou interrogado por um decepticon e o cara dos efeitos especiais ficava do meu lado contando até cinco, e eu sabia que no "um" o robô aterrissava em mim, então eu precisava esperar. Você sabe que ele está no seu pescoço, mas não há nada lá! Em "quatro" o robô já está no seu nariz. O que você tem é uma câmera na sua frente e um homem contando até cinco _não acho que isso não seja atuar!

PERGUNTA - Como é se tornar famoso tão cedo?

LABEOUF - Há oportunidades para pessoas famosas. Se eu não tivesse um certo nível de fama, Steven [Spielberg] não teria me chamado para fazer "Transformers" _cujo sucesso me levou a "Indiana Jones e o Reino da Caverna de Cristal". Sou é um produto, uma latinha de Coca-Cola.

PERGUNTA - Como foi atuar com Harrison Ford?

LABEOUF - Uma experiência de aprendizado. Muita pressão!

PERGUNTA - Há planos de um próximo filme?

LABEOUF - Antes de sair para a turnê internacional de "Transformers: a Vingança dos Derrotados", fui com Michael [Bay] à casa de Steven [Spielberg] assistir a "Lawrence da Arábia" (1962). Quando estava indo embora, ele me disse que a história tinha progredido _e ele estava falando de Indiana Jones. Está em estágio de desenvolvimento.

PERGUNTA - Há boatos de que você será o próximo Indiana Jones...

LABEOUF - Não acho que vai haver outro Indiana Jones. Substituir Harrison seria um erro.

PERGUNTA - No primeiro "Transformers", o lema da sua família era "Sem sacrifício, não há vitória" Qual foi o seu sacrifício, nesse filme?

LABEOUF - Houve evidentemente sacrifício físico. É bem agressivo e abusivo. E sacrifício de tempo, também _você abre mão de metade de um ano, quando faz um filme. Ou mais! Ainda estou passando meu tempo fazendo a promoção de "Transformers"...

Escrito por Diogo Bercito às 14h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Entrevista com Megan Fox

Confira abaixo a íntegra da entrevista que a Folha fez com Megan Fox, em Los Angeles.

*

FOLHA - Há uma foto na internet em que um garoto tenta lhe dar uma flor. Você parece irritada. O que estava acontecendo?

MEGAN FOX - Estava tentando sair do meu carro e entrar no hotel em Londres. Havia 50, 60 repórteres por todos os lados. Eu não conseguia ver o que estava acontecendo por causa dos flashes e não ouvia nada, porque todos estavam gritando. Aparentemente, no meio daquele caos havia uma criança tentando me entregar uma rosa. Eu me sinto péssima, eu teria aceito.

FOLHA - Você disse à "Entertainment Magazine" que "Transformers: a Vingança dos Derrotados" não tem a ver com atuação. Com o que tem a ver?

FOX - Robôs. O personagem principal é o Optimus Prime.

FOLHA - Em 2006, você estavaem 68º lugar na lista das mulheres mais sexy do mundo, segundo a revista FHM. Em 2008, você ficou em primeiro lugar. O que aconteceu?

FOX - Eu estava em um filme que rendeu US$ 700 milhões. É só uma questão de quem vai fazer a revista vender mais. 

FOLHA - Você se considera sexy? 

FOX - Não. 

FOLHA - Não?

FOX - Sexual, sim. Sexy, definitivamente não.

FOLHA - Qual é a diferença?

FOX - Eu não me acho atraente. Eu não tenho a confiança para me considerar sexy.

FOLHA - Em uma entrevista recente, você disse que gostava de usar os shorts mais curtos que fosse possível, quando era adolescente...

FOX - Eu estava me rebelando contra minha criação. Fui criada muito rigidamente. Eu estava sempre fazendo o que eu podia para torturar a minha mãe. 

FOLHA - Você roubava o carro dela?

FOX - Sim, roubava o Kia dela.

FOLHA - Como você avaliariasua performance em "Transformers: a Vingança dos Derrotados"?

FOX - De zero a quatro estrelas? Eu me daria meia estrela. Eu soubastante crítica em relação a mim, não tenho coisas boas a dizer a meu respeito.

FOLHA - Você se considera uma boa atriz?

FOX - Eu acho que tenho potencial. Se eu estudar e focar, posso chegar lá.

FOLHA - Você vai mostrar isso em "Jennifer’s Body", seu próximo filme?

FOX - Não sei. Você vai ter que julgar isso.

FOLHA - Como foi trabalhar com Michal Bay?

FOX - Ele é bem intenso. Ele é um ser humano caótico e ele cria caos nos sets, é assim que ele funciona. Você tem que se acostumar a isso, o que é difícil. Mas ele é um gênio, é preciso ser um para fazer um filme como esse.

FOLHA - Você é fã de filme de ação?

FOX - Sim! Adoro "O Senhor dos Anéis" e "O Exterminador do Futuro". 

FOLHA - Você já foi comparada a Angelina Jolie. O que você pensa disso?

FOX - É uma comparação tola. Ela começou sua carreira ganhando prêmios por sua atuação, nunca foi colocado em dúvida se ela merece o sucesso que tem.

FOLHA - Quanta criatividade você precisou usar para atuar com robôs que não estavam lá?

FOX - Não é difícil fingir. Quero dizer, as bombas são reais. As explosões são reais. O fogo é real. Você reage a essas coisas.

FOLHA - Shia LaBeouf e Ramon Rodriguez se machucaram durante as filmagens. E você? 

FOX - Não. Mas é claro que eu tinha medo de me machucar. Tudo acontece muito rápido, você não acredita que é seguro. Mas não pensava que ia morrer, também.


FOLHA - Você acabou de chegar de uma turnê mundial. Como é conversar com centenas de jornalistas?

FOX - É cansativo quando eles chegam com intenções de fazer alguma coisa negativa, vender você de uma maneira específica. Caso contrário, é bacana.

FOLHA - No filme, Mikaela dirige uma moto. E você?

FOX - Não sei andar de moto. Não é que eu tenha medo, só nunca tive aulas. Eu tentei uma vez, mas tenho a bunda muito pequena, não consigo me equilbrar. 

FOLHA - Como é ser famosa quando você é tão nova?

FOX - Não sei. Nunca me senti jovem. O problema é que a gente sempre pensa que é mais crescido do que é de verdade. 

FOLHA - Como foi atuar com Shia LaBeouf?

FOX - Adorei. Ele é muito talentoso e honesto, não faz falsos movimentos. Gosto da personalidade dele. 

FOLHA - Você acha que "Transformers: a Vingança dos Derrotados" é o melhor filme de ação desse verão?

FOX - Sim, definitivamente.

FOLHA - Você tem uma cena favorita no filme? Talvez a sequência no Egito...

FOX - Bom, essa é uma sequência incrível, visualmente. Mas, para mim, a cena na biblioteca com Sam é uma cena ótima. Shia criou aquela cena do nada, aquele diálogo não existia no script. Ele inventou na hora. Foi super orgânico.

Escrito por Diogo Bercito às 14h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Só baixando

"Alla prima" é uma técnica italiana de pintar um quadro bem complexo em uma única sessão, sem dar tempo para a tinta secar. Aprendeu? Pode esquecer: o Alla Prima tem esse nome porque alguns dos seus sete integrantes são... primos, e só.

A mesma lógica de esvaziar grandes (e chatos) discursos vale para o som deles que, ao primeiro contato, parece coisa bem cabeçuda. Mas não, é um sonzinho bom de dançar e com vocais bacanas da Henrietta, musa que eles conheceram pela internet.

Tá bom que na mistura dos os caras usam música clássica no seu som, mas você não ia se dar conta se ninguém comentasse.

Quer apostar? Ouça isso:

Esse beatbox de nerd é um trecho da composição para piano "Das Wohltemperierte Klavier", de Johann Sebastian Bach, peça erudita das mais importantes, com remix de notas feitas no gogó.

"Muitas bandas tendem a achar que são únicas, quando, na verdade, é tudo a mesma merda. O nosso som, inclusive: é rock com eletrônico e, de vez em quando, um elemento ou outro de bossa", falou ao Folhateen Régis Fria, responsável por guitarras e por efeitos eletrônicos (e o cara à esquerda no vídeo aí em cima). 

Régis conta ainda que o projeto (não são bem uma banda, porque não tocam ao vivo) é hobby para todo o mundo que participa dele e que o primeiro álbum, ironicamente chamado "The Complete Anthology Vol. 1" (A Antologia Completa, Volume 1), segue esse clima de "não faço obrigado ou para ganhar".

Por isso que tá na rede, de graça. 

A capa da "antologia de um disco só"

Baixe aqui: http://allaprimasp.wordpress.com/downloads/

Escrito por Chico Felitti às 13h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Top Top 22/6

Os 10 Singles mais vendidos no Reino Unido

Com apenas 18 anos, a loirinha Pixie Lott estreia nas paradas de sucesso pela posição mais almejada: o topo. Desbancou o "Boom Boom" de Fergie e seus amigos do Black Eyed Peas depois de 10 longas semanas. Dê uma conferida você mesmo e diga se a adolescente merece o hype que está ganhando por lá, porque já já ela chega nas paradas daqui.

Outro som que aparece na parada britânica e ainda não chegou por aqui com força, mas deve aparecer em algum momento, é o das Veronicas. Elas são duas irmãs gêmeas australianas de 24 anos, Jessica e Lisa Origliasso, que fazem um electro-pop frenético, alguns com potencial razoável para pista. Já lançaram dois álbuns, uma linha de roupas assinada por elas e ainda têm uma HQ na Austrália. Produto completo.

1 Pixie Lott, Mama Do
2 Black Eyed PeasBoom Boom Pow
3 Agnes, Release Me
4 Dizzee Rascal/Armand Van Helden, Bonkers
5 Daniel Merriweather, Red
6 Keri Hilson/Kanye West/Ne-Yo, Knock You Down
7 David Guetta/kelly Rowland, When Love Takes Over
8 Kasabian, Fire
9 Veronicas, Untouched
10 Soulja Boy Tellem Ft Sammie, Kiss Me Thru The Phone

Escrito por Tarso Araujo às 09h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Salve-se do salto

Como você já leu no Folhateen desta semana (leu, né?!), sapatos de salto alto podem "tombar" com a sua postura, encurtar músculos da sua perna e ainda "viciar" seu corpo na levantadinha que dão...

 
Saltos não matam pessoas... Foto Reprodução

Mas a gente ama eles mesmo fazendo todas as zoeiras que fazem! É por isso que, depois de levantar em que calos o acessório apertava, pedimos a especialistas dicas de como minimizar o dano provocado.

E, para o seu alto proveito, nasceu o simples e prático... 

GUIA DA CINDERELA

- Só experimente calçados no finzinho da tarde ou à noite. É que neste horário seus pés já incharam e chegaram ao seu tamanho máximo

- Experimente os dois pisantes, sempre. Os pés geralmente são assimétricos

- Não acredite que o calçado vai lacear. "Pode até acontecer de o material ceder um pouco, mas isso vai te dar uma bolha ou um calo", diz a ortopedista da Universidade Federal Paulista Cibele Ressio

- Sempre deixar uma folga de um dedo na ponta do sapato. Sapatos que ficam "em cima" não dão o espaço necessário para seu pezinho se movimentar como deveria

- Alternar os tipos de calçados. Se usar um salto agulha 12 para a balada de hoje, use um quadrado de tamanho quatro amanhã e uma plataforma no dia seguinte. Isso distribui o tipo de dano e permite uma recuperação mais rápida

Agora, se as dicas não derem certo, faça como a Elvira e jogue seus escarpins na cabeça do primeiro que passar!


Lembra onde a rainha das trevas enfia o salto no filme? Foto Reprodução 

Escrito por Chico Felitti às 18h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Blog do Folhateen O Blog do Folhateen é o espaço de interação da seção publicada no caderno "Ilustrada", às segundas-feiras, e escrito pelos jovens que fazem parte do grupo de apoio.
Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.