Blog do Folhateen

Grupo de Apoio

 

4º Japan Expo Award - Premiados

O Shoujo Café avisa: foram divulgados os vencedores da 4ª edição do Japan Expo Awards, prêmio francês para itens da cultura japonesa. Talvez pareça bobagem ressaltar isso, mas reparem que dos títulos premiados a maioria ou já foi publicada aqui, ou fez sucesso em blogs da área e, portanto, foi baixada pelos fãs de cultura nipônica. É bacana perceber que nós aqui estamos antenados no que acontece de melhor lá fora. Né?Fairy Tail

Na categoria mangá shonen (para meninos), o vencedor foi Fairy Tail, ainda inédito no Brasil. O shoujo (para meninas) escolhido foi Vampire Knight (ed. Panini). O melhor seinen (para adultos) foi Detroid Metal City (inédito) e a melhor edição, Blackjack - Edition Deluxe (inédito).

Jà o troféu de melhor animê adaptado de mangá ficou, é claro, com Death Note (publicado pela ed. JBC e exibido no Animax). A melhor série, segundo o prêmio, foi Elfen Lied (dá para baixar em torrent, é ótima, mas bem violenta)

Aliás, falando em baixar, deem uma olhada na coluna Só Baixando desta segunda-feira. A minha sugestão de download é o mangá Midori no Hibi, sobre um menino que acorda com uma garotinha no lugar da sua mão direita. Precisa falar mais?

Escrito por Diogo Bercito às 10h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Segunda (6/7), no Folhateen

Meninas-veneno

Fofoca, intrigas, e traições entre amigas são coisas do cotidiano feminino; meninas são mais cruéis entre si ou isso é preconceito?

Defenda-se

Especialista americana Rachel Simmons para não sofrer com fofoca e maldade de “amigas”

 

“Cachorro” de oito patas

Jovens compram aranhas pela internet, mesmo sabendo que hobby é um crime ambiental

 

Adão Iturrusgarai

Ensina aos homens como fazer uma mulher ir embora de sua casa

 

Jovens ao mar

Semana de vela inclui tripulantes-mirins com regra que incentiva presença de teens nas embarcações

 

Aperta “starte”

Games são tratados como arte em mostra grátis na av. Paulista

 

“O emo morreu!”

Banda Cine mergulha no pop em seu primeiro CD, com som animado dos anos 80 e pose de boy band

 

Álvaro Pereira Junior

O colunista fala sobre como é possível entender os EUA por Beverly Hills

 

Mayra Dias Gomes

Foi a Finlândia, o país cujo governo apoia bandas de metal

 

Ronaldo Lemos

Baixa o pau na tentativa do Congresso de proibir sátiras de políticos em campanha eleitoral

 

Jairo Bouer

É voltar atrás e tirar tatuagens ou reverter cirurgias de circuncisão?

Escrito por Tarso Araujo às 19h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Folhateen Banda apresenta... Katarse

O leitor T. Greguol mandou pra gente via msn o clipe de "Condolências", da Katarse, sua banda. Achei o som legal. E vocês, o que acharam? Vai pro trono ou não vai??

_____________________________________________________________

Bem, se você gostou do clipe, aqui vão mais algumas informações sobre a Katarse. A banda é formada por T. Greguol (vocal), Mário Amore (guitarra), Miggy (baixo) e Bibinho (bateria). O site deles é o www.katarse.com.br, mas os outros clipes podem ser vistos também no www.youtube.com/jpriemma.

“Esse clipe de ‘Condolências’ foi gravado ao longo de nossa carreira rs... entre 2003 e 2009, em lugares como o Centro Cultural Vergueiro, o Blen Blen, o Fidalga 33, a livraria Saraiva, a Livraria da Esquina...”, diz Greguol.

Escrito por Tarso Araujo às 17h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Trailer de "Verônica Decide Morrer"

Divulgado o trailer do primeiro filme adaptado da obra do "mago" Paulo Coelho, "Verônica Decide Morrer". Será que o filme vai fazer o sucesso dos livros??

Escrito por Tarso Araujo às 17h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Signs", de Patrick Hughes

A imagem que "vai ao ar" no Câmera Teen da próxima edição é um frame do curta "Signs", do diretor australiano Patrick Hughes, sobre um cara solitário que conhece uma garota pela janela do seu escritório, fazendo um "chat" via cartazes.

 

O filme nos foi indicado pela leitora Giovana Melanie, 14, de Salto (SP), no bate-papo com a redação que a gente faz toda segunda-feira, às 18h30 (para participar, adicione msndofolhateen@hotmail.com).

 

O filme é bem simples e sensível, ao mostrar a fossa em que vive o protagonista, infeliz, abandonado no mundo. E, bem, não vamos falar o final - veja você, são só 12 minutos -, mas é bem legal o recado que ele deixa no ar: não podemos perder as oportunidades de sermos felizes, pois nunca sabemos se elas vão aparecer de novo.

 

Se você gostar de "Signs", pode ver outros filmes de Hughes aqui.

 

Escrito por Tarso Araujo às 16h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Demi Lovato fala com fãs

A cantora Demi Lovato fala com seus fãs hoje, às 20h15 (horário de Brasília), por meio de um webchat. Para participar, acesse a página do Facebook da garota. Parece truque? Saca só o convite feito por ela própria, no YouTube

Escrito por Diogo Bercito às 11h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ajuste o foco sobre Paraty

Se você curte fotografia, fique esperto, porque logo mais a cidade de Paraty vai trocar os livros da Flipe pelas lentes e imagens do Paraty em Foco, que estreia sua quinta edição em 23 de setembro.

A novidade bacana é que parte do evento poderá ser desfrutado mesmo por quem não tem tempo ou grana para dar um pulo na bela cidade histórica, onde acontecem as exposições, workshops e entrevistas de fotógrafos de destaque.

Isso porque eles lançaram um site que promete fazer uma cobertura do evento, com direito a transmissão de vídeos em tempo real.

"Durante o evento, vai haver um streaming das 12 entrevistas com fotógrafos no lugar da janela em que está o destaque do Youtube. E o pessoal da internet ainda poderá mandar perguntas para os fotógrafos participando do chat", diz Talita Virgínia, produtora do evento, que também é fotógrafa.

Outra forma bacana de participação à distância será o Flickr. O evento tem dois perfis no site de foto. Em um deles os convidados postaram fotos menos conhecidas de seus trabalhos. A idéia é estreitar o contato da platéia com o trabalho deles.

Já no Flickr Group do Paraty em Foco, quem tem uma conta no site pode cadastrar até 20 fotos no grupo. E veja que legal:

"Essas fotos vão ser avaliadas pelos fotógrafos da Cia de Foto e do Coletivo Garapa. E uma das noites de projeções de foto vai ser feita exclusivamente com esse material enviado pelo internautas para o Flickr", diz Talita.

Se você é fotógrafo, amador ou profissional, não pode perder essa oportunidade.

Escrito por Tarso Araujo às 15h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Do contra

"Ô, companheiro, acho que você não captou o espírito da coisa!"

Escrito por Marco Aurélio às 02h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Seis minutos de Harry Potter 6?

A Warner está vendendo um box com os primeiros filmes de Harry Potter, anunciando que eles vêm com um DVD extra com seis minutos de "Harry Potter e o Enigma do Príncipe". O Folhateen deu uma olhadinha do DVD, mas a história não é bem assim -- como já tinha sido anunciado em sites de fãs, esses 6 minutos extra são na verdade 4 minutos e meio de imagens alternando com trechos de entrevistas com os atores. Nada muito diferente do que você já viu no trailer. Se era esse o motivo que você estava esperando para comprar o box...

Harry Potter 6

Escrito por Diogo Bercito às 19h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Só Baixando

Você conhece um diretor japonês chamado Hayao Miyazaki? Talvez você não associe o nome às animações que ele dirigiu, mas, se é fã de desenhos em geral (ou de animês, em particular), deve ter visto pelo menos alguns dos filmes mais populares dele, como "A Viagem de Chihiro" ou "O Castelo Animado".

Esses dois filmes, até onde a memória vai, são os únicos dele que estrearam em cinema no Brasil - e poucos outros chegaram em DVD.

Por isso o "Só Baixando" dessa semana foi sobre uma das obras-primas dele, "Meu Vizinho Totoro".

O desenho, de 1988, conta a história de duas garotas, a pequena Mei e sua irmã mais velha, Satsuki, que se mudam para uma casa no campo com seu pai, um professor; a mãe de ambas está internada em um hospital.

Explorando a casa nova e os arredores, Mei descobre um espírito da floresta, o gigante Totoro (além de vários outros bichinhos divertidos), que vai se tornar companheiro seu e de sua irmã.

O bicho é tão legal que virou o símbolo dos estúdios Ghibli, de Miyazaki:

 

 

Escrito por Marco Aurélio às 16h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cineasta, gente que rala

Conheça melhor Bender Arruda, um jovem que fez do cinema um caminho da favela para as salas de aula da PUC-RJ

 

Bender Arruda, 23, é veterano do CineCufa, festival de cinema que estreia amanhã no Rio de Janeiro, exibindo 161 filmes de realizados que moram em favelas ou comunidades pobres de diferentes lugares do Brasil e do mundo.

 

Sem filme na mostra deste ano, ele participará do festival numa palestra sobre filmes feitos com câmera de celular, depois de ter usado uma delas para fazer um curta-metragem vencedor de um prêmio do júri popular na edição do ano passado.

 

O filme fala sobre a falta de políticas públicas na Prainha, bairro em que mora, em Duque de Caxias, município da região metropolitana do Rio de Janeiro. E se chama “Coaxo do Brejo” – com “x” mesmo, em referência a um lugar que existe onde mora.

 

“Eu fiz com uma bike e saí andando pelas comunidades com umas imagens bacanas. Eu vou mostrando nesse plano-sequência uma série de coisas que faltam na comunidade por falta de políticas públicas”.

 

Enquanto mostra sua comunidade no vídeo, o áudio dá voz aos moradores da comunidade, que nas entrevistas dão sua opinião sobre o descaso das autoridades com o local. A filmagem foi feita com um celular emprestado com o amigo de um irmão. “Até hoje não tenho celular que filme”, diz.

 

Com tudo gravado, ele baixou um programa de edição de vídeo e começou a fuçar, sem nunca ter lido antes um manual do programa. Em dois dias, o curta estava pronto.

 

“Não tentei fazer um filme perfeito, o importante era o cunho político”, diz.

 

Apesar de o resultado não ser nenhuma obra-prima, segundo ele mesmo, o filme ficou pronto a tempo de enviá-lo para o festival “Mostre a sua Comunidade”, o que era seu objetivo inicial. Depois, ele encaminhou o curta para a edição do CineCufa do ano passado.

 

Caminho natural, já que o curso da Cufa foi o ponto de partida de toda sua relação com o mundo do audiovisual.

 

“Toda minha base aprendi na Cufa. Tudo, dentro do lema ‘fazendo do nosso jeito’. E olha que antes de um amigo me indicar para o curso, nunca tinha tido nenhum interesse por cinema”, explica.

 

A falta de um histórico com a sétima arte, no entanto, não foi empecilho para que ele se dedicasse intensamente ao curso.

 

Sem grana, o jeito era andar

 

Morando em outro município, e sem nenhuma ajuda de custo para ir ao curso, que era gratuito, Bender caminhava para economizar.

 

Andava cerca de meia hora de casa até a rodoviária de Duque de Caxias, município da região metropolitana do Rio de Janeiro. De lá, pegava quase duas horas de ônibus até o bairro de Jacarepaguá, zona Oeste da capital. Ao descer, caminhava mais 40 minutos até a unidade da Cufa na Cidade de Deus.

 

Para chegar nas aulas, que aconteciam aos sábados e domingos, das 9h às 17h, acordava às 6h nos dois dias do fim de semana.

 

“Durante a semana eu ia direto pra lá e perturbava o pessoal para me ensinar edição. E eles começaram a me passar várias coisas para fazer”, diz Bender, que na época já tinha completado o segundo grau, requisito importante para o que seria seu próximo passo para se tornar um profissional de cinema.

 

No meio de 2008, ele passou no vestibular para Comunicação Social, com habilitação em cinema, da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-RJ), uma das universidades particulares mais prestigiadas da cidade. E mais caras.

 

Grana preta para entrar na Puc

 

“Para me matricular eu precisava pagar a primeira mensalidade, de uns R$ 1.600. Eu mal tinha dinheiro pra passagem, mas recebi a cara e fui lá me inscrever”, diz. A pessoa responsável pela matrícula pegou o boleto de Bender, saiu e voltou dizendo que ele tinha ganhado um abono e que podia pagar depois.

 

“Eu dei o maio pulo, foi um milagre, acredito nisso. Aí a cada mês foi chegando boleto, foi chegando boleto... – é brother, tá rindo? – aí passei seis meses mostrando trabalho, fiz entrevistas, até que agora consegui uma bolsa integral. Foi maior perrengue.”

 

Agora Bender só pensa em retribuir os ensinamentos que recebeu. Em sua comunidade na Prainha, ele montou um cineclube onde se exibe todo tipo de filme – curtas e longas-metragens, filmes de ficção, documentário, musicais –, mas a maioria tem cunho social.

 

“Tenho vontade de dar aula. Na verdade já estou dando aulas na CDD (Cidade de Deus). Já dei aula em Mesquita, no Dona Marta, no Rio comprido. Estou tendo a oportunidade de devolver tudo isso que aprendi para outras pessoas. Meu objetivo é ser professor de cinema, minha parada é ensinar.”

 

Entre as aulas, ele continua fazendo filmes. Seu próximo filme é sobre um grafiteiro da Prainha. Filmando com celular, câmera digital, mini-DV ou o que aparecer na sua mão, ele já terminou quatro filmes, além do “Coaxo do Brejo”: “Itapuco”, “Consciência Negra”, “Eleição 2008” e “Exigibilidade”.

 

“Esse último é sobre exigir direitos que já estão na lei”, conta, explicando que a história usa como mote o Centro Integrado de Ensino Púiblico (Ciep) que existe em na Prainha. “Ele poderia estar servindo a comunidade e não serve. Só tem três turmas de manhã, muito precariamente. É uma escola enorme em que caberiam dois mil crianças e está largada.”

 

Depois de fazer do cinema um instrumento para mudar sua própria vida, agora Bender quer ajudar a melhorar a dos outros. Ideia nada má, para quem tem uma câmera na mão.

Escrito por Tarso Araujo às 15h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Morte de Jackson sacode paradas no Reino Unido

A morte de Michael Jackson causou uma reviravolta imediata na venda de discos no Reino Unido. A parada britânica, publicada semanalmente pela BBC Radio 1, traz dois discos do astro que não apareciam há anos entre os 10 mais vendidos.

 

A capa de A coletânea “Number Ones” (2003), com as músicas que estiveram em primeiro lugar no ranking de singles mais vendidos, saiu da 121ª colocação na semana passada diretamente para o topo da lista, desbancando o último álbum dos roqueiros ingleses do Kasabian.


E “Thriller” (1982), que é até hoje o disco mais vendido da história, voltou para o quinto lugar, vindo da 179ª colocação.

 

Os dois álbuns precisaram de apenas três dias - incluindo um fim de semana, com muitas lojas fechadas - para voltar ao Top 10, já que a notícia sobre a morte de Jackson só foi confirmada na noite de quinta-feira - no Reino Unido já eram 21h30.

 

A capa de "Thriller" (1982)“Thriller” foi o disco mais vendido do Reino Unido em 1983. E já esteve por quatro semanas não consecutivas no topo da lista.

 

Na lista dos 20 discos mais vendidos, ainda aparecem três álbuns de Jackson: as coletâneas “King of Pop” (de 2008, em 14º lugar) e “The Essential” (de 2005, em 20º) e “Off the Wall” (de 1979, em 17º).

 

Confira a lista completa dos álbuns mais vendidos da semana no Reino Unido.

 

1 - Michael Jackson - Number Ones (Epic)

2 - Kasabian - West Ryder Pauper Lunatic Asylum (Columbia)

3 - Paolo Nutini - Sunny Side Up (Atlantic)

4 - Take That - The Circus (Polydor)

5 - Lady Gaga - The Fame (Interscope)

6 - Bruce Stringsteen and E St Band - Greatest Hits (Columbia)

7 - Michael Jackson - Thriller (Epic)

8 - Daniel Merriweather - Love and War (J)

9 - Kings Of Leon - Only By The Night (Hand Me Down)

10 - Black Eyed Peas - The End (Interscope)

 

Fonte: BBC Radio 1 (de 22/6 a 28/6)

Escrito por Tarso Araujo às 14h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Como virar sacerdote em sete religiões

A matéria de capa do Folhateen de hoje mostrou como é a vida de sete teens que estudam para serem líderes religiosos.

E o blog do caderno dá o serviço para quem quiser saber como é (ou fazer) o caminho das pedras de cada uma dessas religiões.

Católico
Sacerdote: Padre (líder de comunidade) e Papa (líder máximo)
Quem pode fazer: Homens com ensino médio completo
Curso: Faculdades de filosofia (três anos) e de teologia (quatro anos), além de um ano de estudos introdutórios no Seminário Propedêutico
Tempo de formação: Oito anos
Caminho: Padres de paróquias indicam os jovens interessados à Pastoral Vocacional. O estudante vive no seminário onde deve estudar e é responsável pela manutenção da casa e pela preparação de missas. As visitas às famílias acontecem nos fins de semana em que não há atividades nas igrejas locais . São celibatários e, depois de ordenados, devem morar na paróquia
Quanto custa: A igreja paga os estudos dos jovens que, a partir do segundo ano, começam também a receber uma remuneração (côngrua), que aumenta com o tempo de estudo. O curso de teologia da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica) custa R$590 mensais
Vida profissional: Dedicação exclusiva à religião

Protestante
Sacerdote: Pastor
Quem pode fazer: Homens e mulheres com ensino médio completo
Curso: Faculdade de teologia (quatro anos)
Tempo de formação: Varia de acordo com a denominação. Algumas igrejas protestantes, como a Igreja Batista Filadélfia, exigem os quatro anos de faculdade, outras, como a Igreja Metodista, demoram cerca de 11 anos para formar seus pastores
Caminho: Para começar a faculdade é necessário prestar vestibular. Procure um pastor protestante ou uma faculdade de teologia. Quando estudantes, devem trabalhar em comunidades religiosas, podem namorar e se casar. Algumas igrejas acompanham seus estudantes por até seis anos depois da graduação, para se assegurar de que a escolha foi correta
Quanto custa: Algumas igrejas pagam os estudos, outras deixam a responsabilidade para o estudante ou para a família. Os custos variam de R$268,89 (curso à distância) a R$351,69 (presencial), na Universidade Metodista
Interessados: www.metodista.br/fateo
Vida
profissional: Pode trabalhar fora

Muçulmano
Líder: xeque
Quem pode fazer: Somente homens a partir dos 16 anos. Mulheres podem se formar para ensinar a religião, mas não poderão fazer os discursos das orações semanais e só podem liderar orações caso sejam exclusivamente femininas
Curso: Variam de metodologia e de duração. Cabe ao estudante decorar o Corão (livro sagrado do islamismo) e os ensinamentos do profeta Maomé (Muhammad). A formação também foca a moral
Tempo de formação: Quatro anos de faculdade
Caminho: O jovem interessado deve procurar o curso e ter uma carta de recomendação de alguma instituição islâmica ou xeque renomado de seu país de origem. Há faculdades que dão bolsas e outras que são pagas. Os estudos são acadêmicos islâmicos e algumas instituições são internas. Quando uma mulher sai de seu país para estudar o islamismo ela deve ter algum familiar íntimo masculino para sua proteção.
Interessados: www.uniaoislamica.com.br; www.wamy.org.br; www.islam.org.br
Quanto
custa: Os alunos são convidados para o curso e não pagam por ele fora do país. Algumas vezes, são responsáveis pela passagem aérea e alimentação
Vida profissional: Podem ter uma profissão laica ou trabalhar para a religião e serem remunerados pela comunidade ou por alguma instituição islâmica

Hare Krishna
Sacerdote: Monge
Quem pode: Todos
Curso: Não há cursos específicos, a formação do líder se dá pelos ensinamentos passados por outros líderes espirituais 
Tempo de formação: Não há tempo determinado 
Regras: Devem morar no templo, se solteiros. Podem ter uma profissão laica. A castidade é opcional
Interessados: www.harekrishna.com.br 
Quanto custa: O estudante é mantido pelo templo onde mora, que vive de doações e da venda de livros
Vida profissional: Podem trabalhar fora do templo, escolha mais comum entre os casados

Candomblé
Líder: Babalorixá (pai de santo) e ialorixá (mãe de santo)
Quem pode fazer: Todos
Curso: Os primeiros ensinamentos duram sete anos e acontecem na casa, isto é, terreiro ou templo, onde a pessoa foi iniciada
Tempo de formação: Sete anos para se chegar ao grau de sacerdote
Caminho: O primeiro passo é a iniciação, o interessado deve procurar por um sacerdote ou uma sacerdotisa para ser orientado. Enquanto estudam devem morar na casa de santo, frequentar aulas e estudar a religião, além de respeitar os períodos de preceitos que impõem limitações de comportamento. Há sacrifício animal em rituais de iniciação
Quanto custa: Os estudantes podem trabalhar para se manter na casa durante os períodos de iniciação ou contar com a ajuda da família e amigos. Não há mensalidade.
Vida profissional: A maioria trabalha fora, mas podem se dedicar exclusivamente à casa de santo

Judeu
Líder: Rabino (os judeus não precisam de intermediários na comunicação com HaShem )
Quem pode fazer: Homens, sem limite de idade definido
Curso: A formação pode começar ainda na infância, dependendo da instituição de ensino, em escolas chamadas de "yeshivá", mas a formação específica começa depois do ensino médio. Devem estudar em Israel ou nos Estados Unidos e fazer um curso específico para o rabinato. Há algumas instituições "yeshivá" no Brasil
Tempo de formação: O tempo varia de acordo com o modelo de ensino. Os conservadores e progressistas, por exemplo, duram cinco anos, aproximadamente
Caminho: Os alunos devem ser encaminhados pelos rabinos e professores de escolas judaicas às instituições. Devem saber hebraico (que é ensinado no início do processo) e cumprir as tradições judaicas. O casamento é quase imprescindível ao rabino, principalmente para os que vão trabalhar com aconselhamento
Interessados: www.chabad.org.br
Quanto
custa: As famílias que têm condições financeiras mandam seus filhos para fora do Brasil, as mais pobres contam com bolsas e com o auxílio da comunidade
Vida profissional: Dedicação exclusiva ao judaísmo

Espiritismo
Líder: Frequentador com características de liderança, sem posição ou denominação estabelecida
Quem pode participar: Homens e mulheres, sem restrição de idade
Curso: Não há cursos específicos, a formação do líder se dá por seus estudos e experiências na religião
Tempo de formação: Não há tempo determinado
Caminho: A frequência e dedicação aos trabalhos da casa espírita levam o membro a assumir algumas responsabilidades. Com o tempo, pode assumir a direção da casa, se os outros frequentadores estiverem de acordo
Quanto custa: Não há custo
Vida profissional: Tem uma profissão laica 

Fontes: cônego JOSÉ ADRIANO, reitor do Seminário Propedêutico Nossa Senhora da Assunção; bispo ADRIEL MAIA, Associação da Igreja Metodista, Terceira Região Eclesiástica); xeque JIHAD HASSAN HAMMADEH, presidente do Conselho de Ética da União Nacional das Entidades Islâmicas e da Assembleia Mundial da Juventude Islâmica; FEB (Federação Espírita do Brasil); ALBERTO MILKWITZ, diretor institucional da Federação Israelita do Estado de São Paulo; VAGNER GONÇALVES DA SILVA, antropólogo da USP

Escrito por Chico Felitti às 13h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

TOP TOP 29/6

Toda segunda-feira, um olhar sobre os hits do mundo pop.

Maiores bilheterias no Brasil

No último fim de semana antes da estreia de “Transformers: a Vingança dos Derrotados” (as bilherias deste fim de semana ainda não foram contabilizadas), o nacional “A Mulher Invisível” conseguiu superar “O Exterminador do Futuro 4”, que vencera na semana anterior. Quem persiste na lista é “Uma Noite no Museu 2”, desbancando o aguardado “Anjos e Demônios”, que em seu segundo fim de semana já amarga um quinto lugar. Perde o quarto lugar justamente para o fenômeno teen de Hannah Montana, da fábrica de sucessos da Disney. Veja os trailers e confirao quanto arrecadou cada filme:

1 A Mulher Invisível               1.814.922,00 

2 Exterminador do Futuro 4   1.152.539,00 

3 Uma Noite no Museu 2          917.267,00 

4 Hannah Montana                   828.506,00 

5 Anjos e Demônios                 707.447,00 

6 Minhas Adoráveis Ex-...        682.741,00 

7 Trama Internacional               345.230,00 

8 Intrigas de Estado                  312.883,00 

9 Tinha que Ser Você               290.230,00 

10 Duplicidade                         181.022,00

Escrito por Tarso Araujo às 13h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Entrevista com Fergie

Aqui vai a versão integral da entrevista que fizemos com Stacy Ann Ferguson, a Fergie, cantora dos Black Eyed Peas.

 

Fergie, a musa dos Black Eyed Peas Foto: ReproduçãoVocê está surpresa com a repercussão de "The E.N.D."?

Achávamos que Boom Boom Pow seria uma grande música para boate. Mas não sabíamos se ela iria tão bem como foi. Nos nunca sabemos como o as pessoas vão reagir. Então estamos curtindo bastante esse momento.

 

Como é voltar a tocar com o Black Eyed Peãs depois de sua carreira solo ter dado tão certo? Se sente mais confiante?

Quando nos vemos, somos velhos amigos, então é sempre bom trabalhar com eles. Quanto a mim, acho que é o mesmo.

 

E quando vocês vêm ao Brasil?

Vamos fazer uma grande turnê e, definitivamente, temos que ir para o Brasil. Acho que vamos para a América do Sul no fim desse ano ou no começo do próximo.

 

Temos visto você aqui no Brasil em um comercial de TV, e no final você solta uma frase em português. Você fala algo do nosso idioma?

Eu não falo nada em português. Eles me falaram o que tinha que dizer em português e tentei copiar o sotaque o melhor possível. Como eu me saí? Fiquei com sotaque americano?

 

Sim. O suficiente para percebê-lo, mas bem pouco... Quantas vezes você veio ao Brasil?

Estivemos pelo menos três vezes no Brasil. Mas sempre com meio dia ou um dia livre, apenas.

 

O que você pretende fazer em sua próxima visita ao Brasil?

Desta vez quero ir a uma boate. É o que vamos fazer nessa turnê: quando tivermos um dia livre, a noite anterior será para dançar.

 

Já sabe aonde ir?

Não... Vamos ver o que vai rolar quando chegarmos aí. Os garotos sempre vêm com alguma ideia. Apl e will querem discotecar em algum lugar.

 

O grupo em foto de divulgação de "The E.N.D."Você gostaria de gravar mais alguma música brasileira?

Talvez. Antes de gravar “Mas, que Nada”, ouvi o estilo de algumas cantoras brasileiras. Acho interessante que elas não usam tanto vibrato. Aqui elas fazem ahhhh (Fergie canta uma nota longa, fazendo-a vibrar, como as cantoras americanas costumam fazer e como amadores imitam bastante mal no “American Idol”). No Brasil elas fazem mais ahhhhhh (Fergie faz outra nota longa, sustentando-a por mais tempo, com um “vibrato” menos intenso, no final da nota).

 

E você tem ouvido algo do Brasil ultimamente?

Não... Tenho ouvido mais electro ultimamente, que é o que inspirou o álbum.

 

E você conhece algo da cena electro brasileira?

Não conheço nada.

 

Soube que Justin Timberlake comentou a cena electro brasileira em seu blog?

Não. Sobre quem ele falou?

 

CSS... Bonde do Role...

CSS já ouvi falar do nome, mas vou checar o que é. Que som eles tocam? Você poderia me mandar o nome depois?

 

Claro. Você poderia nos contar como foi participar de “Nine” (filme musical com estreia prevista para o fim do ano, inspirado no filme 8 e ½, do cineasta italiano Federico Fellini)?

Foi inacreditável. Foi como se eu completasse um ciclo na minha vida, porque assistir musicais foi a primeira coisa que me inspirou a entrar para o mundo do entretenimento. E estar agora num musical com todas essas pessoas é uma honra.

 

Taboo, will.i.am, Fergie e Apl em foto de divulgação de Sua personagem inicia a vida sexual de Guido, o protagonista, mas você contracena com Daniel Day-Lewis, que interpreta o personagem na fase adulta?

Sim. Trabalhamos todos juntos em cenas do começo e do final. Foi uma benção e uma honra trabalhar com essas pessoas que estão no topo do seu jogo. Lewis... Sophia Loren, Penélope Cruz... Foi uma honra.

Escrito por Tarso Araujo às 20h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A maldade é nova e menina?

O Folhateen está aproveitando o domingo para mergulhar na maldade teen feminina.

Sabe o papo de que garotas são naturalmente más? Tem quem leve a pegada a sério, para ambos os lados:

- Cientistas de cinco universidades americanas fizeram uma revisão de todos os estudos que acharam sobre maldade feminina.

- Um dos livros mais vendidos de 2008 nos EUA é um guia prático para garotas se protegerem... de garotas.

E fora das páginas, meninas são mesmo mais maldosas que meninos?

Você já foi vítima da maldade feminina? Põe na roda!

Escrito por Chico Felitti às 14h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Blog do Folhateen O Blog do Folhateen é o espaço de interação da seção publicada no caderno "Ilustrada", às segundas-feiras, e escrito pelos jovens que fazem parte do grupo de apoio.
Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.